O que devemos saber antes de importar por marítimo consolidado?

Atualizado: 2 de Mai de 2019

Também conhecida pela sigla LCL (Less than a Container Loading), trata-se da opção para

cargas que tenham peso e volumes baixos a ponto que seja viável dividir um container

completo com outros clientes.


Comparado com embarque aéreo e marítimo full container (FCL), o marítimo consolidado é o

que me demanda maior estudo para considerá-lo como opção, pois se for escolhido ao

considerar apenas Custo, estará sacrificando outros aspectos importantes como Tempo e

Segurança que não podem ser recuperados após o início da importação.


Portanto, vamos conhece-los para não precisar aprender com os próprios erros.


Custo


Créditos imagem: John D Fielding/Visualhunt

Se comparado unicamente com valores de frete, o embarque FCL na grande maioria, será mais

caro que o LCL, mas é preciso analisar também quais custos serão afetados por este modo de

embarque.

Os terminais alfandegados que recebem containers de embarque LCL para desova, costumam cobrar valores mais altos comparado ao FCL pois demanda mais serviços como a: desova, separação, carregamento fora de padrão do maquinário, devolver container vazio...


Tanto que esses custos me inspiraram a escrever o texto Por que importo mais no modo aéreo que no marítimo consolidado. Pois se o valor CIF de sua mercadoria for baixo, o custo portuário

encarecerá em demasia seu produto nacionalizado.


"Sempre pergunte ao agente de carga com quem cotar qual o destino final da mercadoria, pois ele pode ofertar o frete mais barato, mas descarregará o container num terminal com os custos mais caros da região."

Em contra partida, um frete mais barato reduzirá também o custo do seguro,

consequentemente o Valor Aduaneiro da mercadoria será menor e, por sua vez, reduzirá

também os impostos incidentes na importação.


Tempo


A última coisa que você pode ter numa importação consolidada é pressa pois, para que o modo

consolidado seja barato, é preciso sacrificar o tempo, logo, mantenha distância dos seus

embarques urgentes.


”Mas se todo embarque é urgente, aí o problema provavelmente está na sua produção ou logística de armazenagem”.

Toda a operação demanda mais tempo, antes de enviar a carga para o porto de embarque, é

preciso que ela seja entregue num armazém para ser estufada num container com a mercadoria de outros clientes.


Chegando no Brasil, talvez seu porto de descarga não trabalhe com LCL, portanto o container

será transferido para outro terminal (esse que eu disse acima para você confirmar qual é) e isso

leva alguns dias para ocorrer após descarregar do navio.


‘’Até num gif acelerado a operação é demorada.’’

Depois de chegar no bendito destino final é preciso aguardar o terminal descarregar o container,

órgãos anuentes como o Ministério da Agricultura analisar a mercadoria, para finalmente

conseguir a presença de carga necessária para iniciar o Despacho Aduaneiro.


Sabe aquela cotação LCL barata demais para ser verdade? Além da demora a enfrentar acima,

nas linhas pequenas da oferta podem ainda ocorrer transbordo em mais de um porto e com

direito a troca de container.


‘’Transbordo = transferência da mercadoria de um veículo transportador para outro do mesmo tipo, para a continuação da viagem’’.

Cuidado também na periodicidade de embarque, nem todo agente de carga se compromete a

embarcar semanalmente/quinzenalmente os LCL, alguns o farão apenas depois do container

encher completamente.


Segurança


Uma operação demorada também não é amiga da segurança pois quanto mais tempo a carga

viaja, maior a chance de dar M, ainda correndo o risco de ter que se submeter a transbordos e

manuseio da mercadoria por terceiros em portos e armazéns que não terão o mesmo cuidado

que você.


Como se enfrentar uma viagem marítima já não fosse preocupação o bastante.


‘’Olha que lindo aquele container azul de porta aberta, deve ser um LCL indo para o Brasil’’.


E justamente em razão da segurança, o tipo de mercadoria permitida para embarcar nesse

modo é limitado, cargas classificadas como perigosas raramente são aceitas por colocarem as

demais em risco, ou também com outras características comprometedoras como por exemplo,

cheiro forte.


Já imaginou se impregna numa carga de tecidos ou vestuário?


***


Cada tipo de mercadoria e segmento de mercado terão as mais variadas conclusões sobre LCL,

por isso o profissional de comércio exterior deve analisar previamente toda a logística para

concluir se é interessante ou não esse modo de embarque.


E para isso, trabalhe em conjunto com seu agente de carga e despachante aduaneiro/Trading

Companies, eles podem ter relevante experiência para ajudar na operação.


E você, leitora(o)?


É viável para você embarcar no LCL? O que seus clientes acham? Já teve dificuldades ou

empecilhos inesperados? Alguma sugestão para reduzir os riscos? Ajude os demais leitores nos

comentários com sua experiência :)



Escrito por Jonas Vieira

34 visualizações
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco