INCOTERMS, que problemas podem ocorrer

Apagar incêndios no Comércio Exterior é tão comum como uma rotineira manhã de terça-feira e muitos deles ocorrem por desconhecermos os problemas que os INCOTERMS podem causar, ou seja, sua operação pode sofrer prejuízos antes mesmo da carga estar pronta para embarque.

É comum a inexperientes interpretar os INCOTERMS incorretamente, ou perder horas trocando em e-mails tentando convencer alguém de que seu entendimento está equivocado.

E para ser inexperiente novamente nele basta trabalhar com outro tipo de produto, modo de embarque ou surgir uma atualização decenária da ICC.

Quero com este texto lhe apresentar o básico de INCOTERMS e alguns problemas comuns que podem advir de desconhecê-los.

O que são INCOTERMS?

Em primeiro lugar, atendendo à juventude que ainda não sofre de envelhecimento precoce trabalhando com Comércio Exterior, vamos à explicação:

Trata-se da abreviatura inglesa das palavras INternational COmmercial TERMS, do português: Termos Internacionais do Comércio. A International Chamber of Commerce é a responsável por publicar, revisar e arbitrar conflitos resultantes dos termos e a faz desde 1936.


Estes termos são apresentados em forma de siglas formadas por 3 letras (EXW, FOB, CPT... chegaremos lá), com o propósito de definir no contrato de compra/venda (numa Fatura ou PO) o que tange principalmente a transporte, seguro e entrega de mercadoria, e à quem pertencem as responsabilidades de:

  • Custos

  • Riscos

  • Obrigações

A partir destas responsabilidades é que apresentarei os problemas, não esqueça!


Importante, INCOTERMS só se aplicam para mercadorias nas relações entre Comprador e Vendedor.


Ou seja, não se aplicam aos demais participantes do Comércio Exterior, como: bancos, transportadores e despachantes aduaneiros – embora estes prestem seus serviços conforme a INCOTERM utilizada, e são nestes detalhes com estes envolvidos que muitos problemas acontecem.

Os grupos e siglas dos INCOTERMS

Como disse, cada termo tem 3 letras, a primeira determina a qual grupo pertence, as duas demais explicam resumidamente onde a carga deve ser entregue.


INCOTERMS 2020 - internationalcommercialterms.guru


Os grupos são:

  • E - EXW - Máxima responsabilidade ao comprador, que deverá buscar a mercadoria no estabelecimento do vendedor;

  • C - CPT, CIP, CFR, CIF - O vendedor é responsável por contratar e pagar o frete principal (o que atravessa fronteiras);

  • F - FCA, FAS, FOB - O comprador é responsável pelo frete principal e seguro; e

  • D - DAP, DPU, DDP - O vendedor é responsável pela entrega no país do comprador, assumindo mais riscos que na categoria C.

Os sublinhados se aplicam apenas ao modo de embarque marítimo.

Como o texto visa tratar dos problemas, a explicação dos grupos acima está resumida e cada uma das siglas serão explicadas nos próximos artigos.

Problemas que podem ocorrer por desconhecer os INCOTERMS

Se um dos lados da negociação não domina o assunto INCOTERMS, será questão de tempo para se tornar um conflito à ambas as partes, o que acarretará em dificuldades no momento da operação.

Entenda que os problemas não se resumirão a pequenos atrasos e prejuízos, eles são sobretudo capazes de comprometer a margem de lucro na exportação ou inviabilizar uma importação.


Foto de Tom Fisk no Pexels

Os exemplos abaixo ajudarão a visualizar (e bastará sua imaginação para concluir o quanto poderia ser pior).

Obrigações

Desconhecer as obrigações resultantes do INCOTERMS da operação lhe causará, primordialmente, problemas de tempo e dinheiro:

Ou os dois juntos... pois, no Comex, tempo é prejuízo.

No EXW, o vendedor deve disponibilizar a mercadoria para coleta (seja na fábrica ou num armazém), devidamente embalada e identificada para transporte.

Entretanto, o vendedor não é responsável pelo carregamento da mercadoria no caminhão do comprador, então, se a carga precisar de uma Paleteira/Transpalete para carregar, e o veículo não tiver uma, o carregamento pode não acontecer naquele dia.


Image by Pashminu Mansukhani from Pixabay

Parece exagero, contudo, é comum existirem dificuldades deste tipo quando o vendedor é uma grande empresa e o comprador não. Bem como é comum sofrermos para convencer exportadores a assinarem documentos a caneta.

Riscos

Um dos pontos mais ''pegadinha'' do INCOTERMS encontra-se transferência de Riscos do Comprador ao Vendedor.


INCOTERMS apenas para embarque marítimo.

Os riscos variam conforme o INCOTERM escolhido e, se for algum do Grupo C, eles não terminam nos Custos, exemplo:

Se comprar CFR, o vendedor deve pagar por todo transporte até a chegada do navio no porto de destino, porém, o risco é transferido ao exportador, da mesma forma como acontece no FOB.

Ou seja, se o risco da viagem marítima no CFR é do comprador, será que seu vendedor se preocupará em contratar um frete de qualidade?

Além de, eventualmente, os importadores se incomodarem com a categoria C em razão da ocorrência de embarques sem autorização, fretes demorados e outros problemas que o frete prepaid causam.

Custos

Os problemas de custos ocorrem no pagamento em duplicidade (pelos dois lados) ou na contratação urgente de uma obrigação esquecida.

Por exemplo, o comprador não se atentou ao asterisco na cotação ao lado do EXW*, que informava disponibilizar a carga num armazém próximo de um porto de embarque diferente do cotado com seu agente de carga. Consequentemente, o comprador precisará pedir, urgentemente, a cotação do porto de embarque, ou do transporte rodoviário, revisada.

Ainda similarmente no exemplo dado em Obrigações, pode acontecer do comprador pagar por um caminhão com Paleteira, mas a proposta do vendedor era "EXW, carregamento incluso".

"Tudo bem, a Paleteira só custou US$40,00"

E qual a cotação do dólar hoje mesmo?

***

Esse é um dos assuntos mais complexos do Comércio Exterior e, por isso, decidi dividi-lo em série, pois serão necessários mais artigos para aprofundarmo-nos nas onze siglas.

Como é usual em nossa área, é possível aprender com livros e cursos, mas é no dia a dia que aprendemos aqueles detalhes cruciais, por isso é importante trabalhar com quem entenda do assunto para lhe prevenir de sofrer dificuldades.

E você, amiga(o)?

Como o texto buscou apresentar exemplos práticos, certamente que muitos dos problemas que os INCOTERMS podem ocorrer ficaram de fora, por isso você pode ajudar no assunto?

Quais são os INCOTERMS que mais utiliza no seu mercado? Quais lhe causaram mais problemas? Como solucionou?


Texto escrito por Jonas Vieira

Consultor de Comércio Exterior e Produtor de Conteúdo

LinkedInInstagramPodcast - jonas-vieira.com

0 visualização
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco